Síndrome Sundown em PESSOAS COM …

Síndrome Sundown em PESSOAS COM …

Síndrome Sundown em PESSOAS COM ...

Abstrato

Palavras-chave: Sundowning, Doença de Alzheimer, Demência

INTRODUÇÃO

No entanto, O Que distingue sundowning das condições Acima mencionadas E Que como PESSOAS COM síndrome de sundown mostram caracteristicamente comportamentos disruptivos especificamente no da tarde final, A Noite, OU à Noite. 2 ELES PODEM Ser Muito desafiador parágrafo OS cuidadores a lidar COM ESSES síntomas. Um Estudo indica that um Agitação da síndrome de sundown E UMA causa Comum de institucionalização de patients Idosos Que sofrem de Demência. 3 Otras Características Clínicas da sundowning incluem alterações de humor, atitude anormal exigente, desconfiança e alucinações visuais e Auditivas não definitiva da tarde e à Noite. 4

E Difícil diferenciar grande Variedade de perturbações comportamentais temporais em Pacientes com Demência, é Sua Correlação com Outros Factores NÃO circadiano ritmo Relacionados. Não entanto, Nao suficientes há Provas em neurológicas e literatura psiquiátrica that sugerem a existencia de hum Fenômeno do tipo sundowning em individuos com Demência UO com perturbações cognitivas, that de according com Dados da literatura inclui Uma constelação de e Disfunção emocional, cognitivo, comportamental, motora. 1. 2. 4. 5. 9. 13-20

MÉTODOS

RESULTADOS

Epidemiologia

etiologia

A causa exacta da síndrome do Pôr do Desconhecido e Sol. Varias Teorias TEM SIDO PROPOSTAS Para Compreender o Fenômeno clínico de sundowning. Estudos that tentaram explicar a etiologia da síndrome do Pôr do Divididos SER PODEM sol em Três Grandes Grupos: fisiológicos, Psicológicos e Ambientais. 22

Privação sensorial

Distúrbios do Ritmo circadiano

Distúrbios do Sono

RESPOSTA inadequada a Factores Ambientais

Rindlisbacher e Hopkins 5 medido Agitação em patients com Demência de Alzheimer em TERMOS de Actividade motora. Como Análises mostraram that Alguns individuos Neste Estudo demonstrou aumento da Atividade da tarde, mas Estes individuos NÃO correspondem a grupos atribuido cabelo enfermagem de “drinques” e “Não-sundowners”. Movimento correlaciona de "sundowning" were observados em Pacientes com AD, presumivelmente, em meados da Década de Fases da Demência, e NEM tanto em patients com Fases Mais avançadas da Doença. 5 Cohen-Mansfield et al. 11 assumido that gritar à Noite PODEM ocorrer em patients com Demência Como Uma Resposta ao Isolamento social. Outra Possível Contribuição ambiental parágrafo sundowning E uma Relação Mais Baixa equipe-Paciente em Instituições, OU um Disponibilidade diminuída de cuidadores Domiciliares Naquela hora do dia. Ela Diminui a intensidade da Estimulação estruturada parágrafo OS PACIENTES, aumenta o tédio, e, consequentemente, lev um Agitação, Inquietação, e Outras perturbações comportamentais Associados Distúrbio de Comportamento. Por Outro Lado, com Alta Prevalência de sundowning (66% between OS PACIENTES Que Vivem em Casa), sundowning Comportamento na Liderança demente Paciente parágrafo inadequada do sono, fragmentada em cuidador, e aumenta o estresse do cuidador, O Que PODE Aumentar a Probabilidade de sundowning. 26. 64. 65 de: Não surpreendentemente, o estresse do cuidador e esgotamento PODE Aumentar a Probabilidade de institucionalização PARA O Paciente. 64. Conflitos 65 Funcionários / patients PODEM surgir da falta de Comunicação, Equipe de divisão Como resultado da patologia do Paciente Demente Específico, or frustração e Angústia devido à diminuição da Independência física. 22

Mudanças temporais na temperatura corporal

Medicamentos Como hum contribui Fator that

condições Médicas e psiquiátricas Como hum contribui Fator that

Uma Vasta Variedade de Factores Médicos PODEM contribuir parágrafo temporalmente Associada Agitação. Por Exemplo, algumas Doenças em Que a dor E intensa PODE Iniciar OU agravar cognitivo, afetivo OU Distúrbios comportamentais no da tarde final. Bachman et al. 63 relatado that um Agitação PODE Ser Uma Manifestação da RESPOSTA à Variação temporais da dor. Variabilidade de humor em Alguns patients com Demência PODE ter Padrão previsível, e na Depressão Maior Degradação fazer humor nas horas da Noite (that PODE caracterizar Padrão atípico de Depressão Maior), PODE, possivelmente, explicar Alguns Casos de sundowning. 63 PODE-SE Supor Que um Agitação e Mudanças Na Atividade em patients dementes com a Depressão PODE se manifestar Como sundowning; Tendo em Conta como dificuldades em provocar Outros síntomas de Depressão em individuos com Deficiência cognitiva. 63 Alguns Pesquisadores teorizam Que a fome, como Mudanças Nos níveis de glicose no sangue DEPOIS de comer em Pacientes diabetes com, OU Uma Queda na Pressão APOS arteriais Uma Refeição (that priva TEMPORARIAMENTE Cérebro de Oxigênio), PODE trazer um Agitação e Confusão EM individuos susceptíveis. 67

Diagnóstico

Diagnóstico diferencial

Tratamento

Abordagens Ambos NÃO farmacológicas e farmacológicas TEM SIDO consideradas sem Tratamento de patients com sundowning. De according com a literatura Revisada, Entre Fatores Médicos Que PODEM contribuir parágrafo sundowning Nos individuos Idosos com Demência São: síndrome de dor chronic devido à artrite e Doença maligna, Doenças sistêmicas de Órgãos (incluíndo insuficiencia cardíaca congestiva, Doença isquémica Cardíaca, asma, Doença pulmonar obstrutiva crónica, Refluxo gastroesofágico, incontinencia urinaria, hipertrofia prostática benigna), condições psiquiátricas (incluíndo Depressão, Ansiedade, psicose), e Os Efeitos de Vários Medicamentos. 19. 63. 70 Em patients com Demência, desconforto físico e Doença PODE TAMBÉM Ser expresso Como Anomalias comportamentais. Individuos com AD Não São capazes de REAGIR à dor OU Outro desconforto físico em Formas Padronizadas, Bem Como de se relacionar com Seu Corpo corretamente. E POR ISSO Que Doentes Idosos com Demência MUITAS vezes Usam uma agressão e Outros comportamentos, Tais Como gritar, gritar e se recusando a comer Para expressar dor UO Outros síntomas Físicos. Sugeriu-se utilizar "INTELIGENTE" 71 UO "PEÇAS." 72 Abordagens nd Gestão dos Problemas de Comportamento Relacionadas com Demência. O Primeiro inclui Segurança, médico do Trabalho-up, Avaliação de Competência, rest / Avaliação das Causas de Anomalias de Comportamento e Julgamento de Medicamentos. Este Último inclui considerar Problemas Físicos, Intelectuais / alterações cognitivas, Problemas emocionais, Recursos, Meio Ambiente, / Questões Culturais Sociais. Considerando síntomas Sundowning Sendo Uma parte dos síntomas comportamentais e Psicológicos da Demência, E Razoável USAR um MESMA "INTELIGENTE" UO "PEÇAS" Abordagens de Tratamento Complexo de Manifestações comportamentais da síndrome do Pôr do Sol. Portanto, os antes de considerar QUALQUÉR Tratamento Específico Para a síndrome do Pôr do Sol em Doentes Idosos com Demência, E Razoável parágrafo réunir Uma História cuidadosa, Exame Realizar físico completo e Exames laboratoriais Para avaliar hum Paciente parágrafo OS Padrões temporais de Agitação e Outras Manifestações de sundowning síndrome, é Sua Possível Conexão com varias condições Médicas. De according com Dados da literatura médica Atual, como seguintes intervenções were Julgados e considerados eficazes POUCO PARA O Tratamento de sundowning em patients dementes: Terapia de luz Brilhante, melatonina, Inibidores da acetilcolinesterase, Medicamentos antipsicóticos, e de Intervenção Ambiental / modificações comportamentais.

terapia de luz

melatonina

Os Inibidores da acetilcolinesterase

Como medicações antipsicóticas

Embora antipsicóticos São provavelmente uma classe Mais Utilizado de Medicamentos parágrafo Controlar OS síntomas de sundowning, há INFORMAÇÕES poucas disponiveis na literatura médica Sobre este tema Específico. Maioria dos Estudos estao refletindo Uso de Medicamentos antipsicóticos em individuos dementes parágrafo varias perturbações comportamentais, incluíndo psicose e Agitação, mas NÃO especificamente parágrafo sundowning. 114-129 Stoope et ai. 114 relataram that 40% dos Médicos de Família e neuropsiquiatras na Alemanha Considerada Medicamentos antipsicóticos um Ser como Drogas de ESCOLHA PARA O Tratamento de Sundowning e Outros Distúrbios do Sono em patients Idosos com Demência. Numerosos Ensaios Clínicos randomizados São suportados a eficacia de Vários Medicamentos anti-psicóticos (risperidona, olanzapina, aripiprazol) Para o Tratamento de síntomas comportamentais em Demência. 119-123 Outro Relatório refletiu o Uso de quetiapina parágrafo perturbações comportamentais e psicose em Residentes de enfermagem com AD. 124 Como experimentações Clínicas antipsicóticas de eficacia-Alzheimer Disease Intervenção fazer demonstrou that ideações o Uso de antipsicóticos atípicos foi Associado com acentuada Melhoria na paranoico, agressividade e Raiva. 127 Tariot 115 relataram that Medicamentos antipsicóticos apresentam Efeitos Modestos Sobre a Agitação em patients com Demência sepultura, com APENAS 15-20% o fazem * Tamanho do Efeito Sobre o placebo. He also demonstrou Que cerca de hum terço dos patients em Uso de medicações antipsicóticas PODEM experimentar sedação leve, that PODE Ser favorável na facilitação do Sono. Outro Estudo sugeriu Medicamentos antipsicóticos Para o Tratamento de Vários Distúrbios do Sono e comportamentos desajustados à Noite em severamente dementes-residentes de enfermagem. 121 foi relatado Que houve MESMO ligeiro Efeito do Tratamento antipsicótico na Agitação do Dia, e apos uma interrupção das medicações antipsicóticas por Quatro Semanas, como pontuações comportamentais Globais mantiveram-se relativamente estáveis ​​OU melhoraram em maioria dos individuos. 116 128 sugeriu Standbridge antipsicóticos atípicos Para o Tratamento de sundowning Confusão e A Noite, devido AOS SEUS Efeitos secundarios sedativos. Parnetti 129 demonstrou Que OS antipsicóticos atípicos em dosagens Muito Baixas PODEM Ser Usadas Pará TRATAR um Delírios, alucinações e ideação paranóica. antipsicóticos atípicos, em Comparação com antipsicóticos Típicos, TEM perfil de Efeitos colaterais Mais favorável. 2 No entanto, o Seu USO DEVE SER ponderados cuidadosamente contra os tais Efeitos colaterais de Risco de vida, Como pneumonia, acidente vascular cerebral e morte. 130-132 Risperidona, e Um dos Agentes comumente utilizados, foi mostrado Para Diminuir a Agitação noturna em Residentes de enfermagem. 118 Outro Estudo demonstrou Redução da agressividade e errante, Bem Como Aumentar como horas de sono noturno, em patients com Demência Tratados com risperidona. 117 He foi Recomendado parágrafo reavaliar o estado cognitivo e comportamental de patients com Demência em Medicamentos antipsicóticos em base de Uma regulares: não Prazo de 3 meses apos o Início do Tratamento (Diretrizes canadenses de Tratamento), 133 OU Pelo Menos um each 3 a 6 meses SE ELES São patients ambulatoriais. 128. 129 Embora existam NÃO Estudos Específicos Relacionados Ao se uso de antipsicóticos atípicos Para o Tratamento de sundowning, ELES PODEM Ser considerados Como Medicamentos eficazes Para este FIM, especialmente Porque essas drogas São Melhor tolerados fazer that OS antipsicóticos Típicos em Pacientes Idosos. 2

intervenções Ambientais / modificações comportamentais

Prognóstico

Houve Dados de Pesquisa Muito POUCO Sobre o Prognóstico da síndrome do Pôr do Sol. Scarmear et ai. 25 relatado Que a Presença de síndroma do Por do Sol TEM SIDO Associada com a Mais Rápida deterioração da Função cognitiva em Doentes com Estádios precoces da AD.

Prevenção

CONCLUSÃO

Referências

1. Cameron DE. Estudos em delírio noturno senil. Psychiatr Q. 1941; 15: 47-53.

2. Kim P, Louis C, Muralee S, Tampi RR. Sundowning síndrome em that o Paciente Mais Velho. Clin Geriatr. 2005; 13: 32-36.

3. Hess CW. Distúrbios do sistema operacional do Sono e Demência. Praxis (Bern 1994) 1997; 86: 1343-1349. [PubMed]

4. Volicer L, Harper DG, Manning BC, Goldstein R, Satlin A. Sundowning e ritmos circadianos na Doença de Alzheimer. Am J Psychiatry. 2001; 158: 704-711. [PubMed]

5. Rindlisbacher P, Hopkins RW. Uma Investigação da síndrome sundowning. Int J Geriatr Psychiatry. 1992; 7: 15-23.

6. Prinz PN, Raskind MA. Envelhecimento e Distúrbios do Sono. In: Williams RL, Karacan I, Editores. Distúrbios do Sono: Diagnóstico e Tratamento. New York: John Wiley and Sons; De 1978.

7. Sadock BJ. Sinais e síntomas em psiquiatria. In: Sadock BJ, Sadock VA, Editores. Comprehensive Textbook de Kaplan Sadock of Psychiatry. 7ª edição. Baltimore: Lippincott Williams Willkins; 2000.

8. Bliwise DL. O Que É sundowning? J Am Geriatr Soe. 1994; 42: 1009-1011. [PubMed]

10. Martin J, Marler M, Shochat T, Ancoli-Israel S. Os ritmos circadianos de Agitação em patients institucionalizados com Doença de Alzheimer. Int Chronobiol. 2000; 17: 405-418. [PubMed]

11. Cohen-Mansfield J, Watson V, Meade W, Gordon M, Leatherman J, Emor C. Será, Sundowning ocorrer em moradores da Unidade de Alzheimer? Int J Geriatr Psychiatry. 1989; 35: 101-108.

12. Bliwise DL, Yesavage JA, Tinklenberg JR. Sundowning e taxa de ao declínio da Função mentais na Doença de Alzheimer. Demência. 1992; 3: 335-341.

13. Evans LK. síndrome Sundown em Idosos institucionalizados. J Am Geriatr Soe. 1987; 35: 101-108. [PubMed]

14. Cohen-Mansfield J, Marx MS, Werner P, Padrões Freedman L. temporais de agitados-residentes de enfermagem. Int Psychogeriatr. 1992; 4: 197-206. [PubMed]

15. Burgio LD, Scilley K, Hardin JM, Janosky J, Bonino P, Slater SC, et al. Estudar vocalização perturbador e Fatores contextuais na Casa de Saúde: Observação em Tempo Real Assistida POR Computador. J Gerontol. 1994; 49: P230-P239. [PubMed]

16. O’Leary PA, Haley WE, Paul PB. Avaliação comportamental na Doença de Alzheimer: utilização de hum Registo de 24 h. Envelhecimento Psychol. 1993; 8: 139-143. [PubMed]

17. Sloane PD, Mitchell CM, Pressier JS, Phillips C, Comandante C, Burker E. Ambiental correlaciona de Agitação residente na Doença Unidades Especiais de Alzheimer Cuidados. J Am Geriatr Soe. 1998; 46: 862-869. [PubMed]

18. Kutner NG, Bliwise DL. Observado Agitação e fazer fenómeno da "Sundowning" Residentes Entre SCU. In: Holmes D, Teresi JA, Ory M, Editores. Pesquisa e Prática na Doença de Alzheimer. New York: Springer; 2000. pp. 151-161.

19. POUCO JT, Satlin A, Sunderland T, síndrome Volicer L. Sundown em patients gravemente dementes com provável Doença de Alzheimer. J Geriatr Psychiatry Neurol. 1995; 8: 103-106. [PubMed]

20. Satlin A, Volicer L, Stopa EG, circadianos Atividade locomotora e core-corpo ritmos de temperatura Harper D. na Doença de Alzheimer. Envelhecimento Neurobiol. 1995; 16: 765-771. [PubMed]

21. 2006 Estatísticas Sobre a Doença de Alzheimer. Associação de Alzheimer. [Acessado em 02 de novembro de 2006]. Disponível em: http://www.alz.org/AboutAD/statistics.asp.

22. Duckett S. Gerenciando o Paciente sundowning. J Rehabil. 1993; 1: 24-28.

23. Congresso dos EUA, Office of Technology Assessment. Unidades de Cuidados Especiais Pará como PESSOAS COM Doença de Alzheimer e Outras demências: Educação dos Consumidores, Investigação, de Regulamentação e Questões de Reembolso. Washington, DC: Government Printing Office; De 1992.

24. Devanand DP, Brodkington CD, Moody BJ, Brown RP, Mayeux R, Endicott J, et al. Síndromes comportamentais na Doença de Alzheimer. Int Psychogeriatr. 1992; 4 (Suppl 2): ​​161-184. [PubMed]

26. Gallagher-Thompson D, Brooks JO, 3ª, Bliwise D, Líder J, Yesavage JA. Como Relações Entre o estresse do cuidador, "sundowning" síntomas, e ao declínio cognitivo na Doença de Alzheimer. J Am Geriatr Soe. 1992; 40: 807-810. [PubMed]

27. Ancoli-Israel S, Gehrman P, Martin JL, Shochat T, Marler M, Corey-Bloom J, et al. O aumento da Exposição à luz consolida sono e fortalece OS ritmos circadianos em patients com Doença de Alzheimer sepultura. Behav sono Med. 2003; 1: 22-36. [PubMed]

28. Morley JE. Agitação noturna: Distúrbios do Sono e insônia EM Idosos. Fatos Res Gerontologia. 1993; 7: 103-116.

30. Bliwise DL, Watts RL, Watts N, Rye DB, Irbe D, Hughes M. Comportamento noturno Disruptive na Doença de Parkinson e Doença de Alzheimer. J Geriatr Psychiatry Neurol. 1995; 8: 107-110. [PubMed]

31. Graça JB, Walker MP, McKeith IG. Uma Comparação de Perfis de sono em patients com Demência com Corpos de Lewy e Doença de Alzheimer. Int J Geriatr Psychiatry. 2000; 15: 1028-1033. [PubMed]

32. Harper DG, Stopa EG, McKee AC, Satlin A, Harlan PC, Goldstein R, et al. Distúrbios do Ritmo circadiano Diferenciais em Homens com Doença de Alzheimer e degeneração frontotemporal. Arch Gen Psychiatry. 2001; 58: 353-360. [PubMed]

33. Bliwise DL, Rye DB, Dihenia B, Gurecki P. Grande sonolência diurna em subcortical acidente vascular cerebral em Relação à Doença de Parkinson e Doença de Alzheimer. J Geriatr Psychiatry Neurol. 2002; 15: 61-67. [PubMed]

34. Feinberg I, Koreski RL, Schaffner IR. Dormir Padrões de eletroencefalograma e Olho-Movimento em patients com síndrome chronic cerebral. J Psychiatr Res. 1965; 39: 11-26. [PubMed]

35. Yesavage JA, Friedman L, Ancoli-Israel Annu Rev Med. 2006; 57: 499-511. [PubMed]

36. Swaab DF, Fliers E, Partiman TS. O núcleo supraquiasmático do Cérebro humano em Relação Ao sexo, Idade e Demência senil. Brain Res. 1985; 342: 37-44. [PubMed]

38. Wu YH, Swaab DF. A glândula pineal e melatonina Humana não Envelhecimento e Doença de Alzheimer. J Pineal Res. 2005; 38: 145-152. [PubMed]

39. Stopa EG, Volicer L, Kuo-Leblanc V, Harper D, D Lathi, Tate B, et al. Avaliação patológica do núcleo supraquiasmático humana na sepultura Demência. J Neuropathol Exp Neurol. 1999; 58: 29-39. [PubMed]

40. Huitrn-Resndiz S, Sanchez-Alavez H, R Gallegos, Berg L, E Crawford, Giacchino JL, et ai. Age-Independente e déficits Relacionados AO Envelhecimento na aprendizagem visuo-espacial, ESTADOS de sono-vigilia, termorregulação e Atividade motora em ratos PDAPP. Brain Res. 2002; 928: 126-137. [PubMed]

41. Huitrn-Resndiz S, Sanchez-Alavez H, R Gallegos, Berg L, E Crawford, Giacchino JL, et ai. Estados de sono-vigilia em modelos de camundongos transgênicos com superexpressão da proteína precursora de beta-amiloide humana. Am J Alzheimer Dis Outros Demen. 2005; 20: 87-90. [PubMed]

42. Vloeberghs E, Van Dam D, Engelborghs S, Nagels G, Staufenbiel M, De Deyn PP. Alteradas Atividade locomotora circadiano em ratos APP23: um modelo Pará Distúrbios SPCD. Eur J Neurosci. 2004; 20: 2757-2766. [PubMed]

43. Liu RY, Zhou JN, van Heerikhuize J, Hofman MA, Swaab DF. Diminuição dos níveis de melatonina no fluido cerebroespinal post-mortem em relaçao Ao Envelhecimento, Doença de Alzheimer, e apolipoproteína E-epsilon genotipo 4/4. J Clin Endocrinol Metab. 1999; 84: 323-327. [PubMed]

44. Reiter RJ, Tan DX, Manchester LC, El-Sawi MR. A melatonina reduz o Dano oxidante e Promove a Respiração mitocondrial: implicações PARA O Envelhecimento. Ann N Y Acad Sci. 2002; 959: 238-250. [PubMed]

45. Wu YH, Feenstra MG, Zhou JN, Liu RY, Torano JS, Van Kan HJ, et al. alterações moleculares subjacentes reduziu OS níveis de melatonina pineal na Doença de Alzheimer: alterações em Estágios pré-Clínicos e Clínicos. J Clin Endocrinol Metab. 2003; 88: 5898-5906. [PubMed]

46. ​​Cardinali DP, Brusco LI, Liberczuk C, Furio AM. O Uso de melatonina na Doença de Alzheimer. Neuro Endocrinol Lett. 2002; 23 (Supl 1): 20-23. [PubMed]

48. Cohen-Mansfield J, Garfinkel D, Lipson S. melatonina Para o Tratamento de sundowning em PESSOAS idosas com Demência-um Estudo preliminar. Arch Gerontol Geriatr. 2000; 31: 65-76. [PubMed]

49. Klaffke S, Staedt J. Sundowning e Distúrbios do Ritmo circadiano na Demência. Acta Neurol Belg. 2006; 106: 168-175. [PubMed]

50. Foley DJ, Monjan AA, Brown SL, Simonsick EM, Wallace RB, Blazer DG. Queixas de sono Entre Idosos: um Estudo epidemiológico de Três comunidades. Dormir. 1995; 18: 425-432. [PubMed]

51. Jelicic M, Bosma H, Ponds RW, van Boxtel MP, Houx PJ, Jolles J. Problemas subjetiva do Sono Mais tarde na vida Como preditores de ao declínio cognitivo. Relatório da Estudo Envelhecimento Maastricht (MAAS) Int J Geriatr Psychiatry. 2002; 17: 73-77. [PubMed]

53. Cacabelos R, Rodriguez B, C Carrera, Caamao J, K Beyer, Lao JI, et al. APOE Relacionadas com a Frequência dos síntomas cognitivos e NÃO cognitivas na Demência. Métodos Localizar Exp Clin Pharmacol. 1996; 18: 693-706. [PubMed]

54. Bliwise DL. Distúrbios do sistema operacional do Sono em Doença de Alzheimer e Outras demências. Clin Cornerstone. 2004; 6 (Suppl 1A): S16-S28. [PubMed]

55. Vitiello MV, Prinz PN. Sono / vigilia Padrões e Distúrbios do Sono em Doença de Alzheimer. In: Thorpy MJ, editor. Manuais de Distúrbios do Sono. New York: Marcel Dekker; 1990. pp. 703-718.

56. Bliwise DL, Carroll JS, Lee KA, Nekich JC, Dement WC. sono e "sundowning" em Enfermagem patients em Casa com Demência. Psychiatry Res. 1993; 48: 277-292. [PubMed]

57. Martin JL, Mory AK, Alessi CA. dessaturação de oxigénio Noturna e síntomas de Distúrbios respiratórios do sono em longa Permanência-residentes de enfermagem. J Gerontol A Biol Sci Med Sci. 2005; 60: 104-108. [PubMed]

58. Horiguchi J, Yamashita H, Mizuno S, Y Kuramoto, Kagaya A, Yamawaki S, et al. síndrome noturna comer / beber e síndrome das Pernas inquietas induzida POR neurolépticos. Int Clin Psychopharmacol. 1999; 14: 33-36. [PubMed]

59. Cohen-Mansfield J, Werner P, Freedman L. sono e Agitação na agitados Residentes de enfermagem: um Estudo observacional. Dormir. 1995; 18: 674-680. [PubMed]

60. Kral VA. Confusão Unidos / descrições e Gestão. In: Howells JG, editor. Perspectivas Modernas EM Psiquiatria da Terceira Idade. New York: Brunner Mazel; 1975.

62. Mace N, Rabins P. A 36 Dia Hora. New York: Grand Central Publishing; 2006. pp. 234-235.

63. Bachman D, Rabins P. "Sundowning" e Outros Estados de Agitação Associados temporários em patients com Demência. Annu Rev Med. 2006; 57: 499-511. [PubMed]

64. Pollak CP, Perlick D, Linsner JP, Wenston J, Problemas Hsieh F. sono Nos Idosos da Comunidade Como preditores de morte e de enfermagem colocação Casa. J Community Health. 1990; 15: 123-135. [PubMed]

65. Pollak CP, Problemas Perlick D. sono e institucionalização de Idosos. J Geriatr Psychiatry Neurol. 1991; 4: 204-210. [PubMed]

66. Lee JH, Friedland R, Whitehouse PJ, Woo JI. Ritmos de Vinte e Quatro horas do ciclo vigilia-sono e da temperatura na Doença de Alzheimer. J Clin Neuropsiquiatria Neurosci. 2004; 16: 192-198. [PubMed]

67. Margiotta A, Bianchetti A, Ranieri P, Trabucchi M. Como Características Clínicas e Fatores de risco de delírio em patients internados Médicos Idosos dementes dementes e NAO. Envelhecimento J Nutr Health. 2006; 10: 535-539. [PubMed]

68. Lipowski Z. Delirium: Insuficiência aguda cerebral nenhum homem. Springfield, IL: Charles C Thomas; De 1980.

69. Lipowski ZJ. Distúrbios transitórios cognitivas (delírio, ESTADOS confusionais agudos) em Idosos. Am J Psychiatry. 1983; 140: 1426-1436. [PubMed]

70. Exum ME, Phelps BJ, Nabers LE, Osborne JG. síndrome Sundown: é refletida no Uso de Medicamentos PRN parágrafo OS-residentes do lar de Idosos? Gerontologist. 1993; 33: 756-761. [PubMed]

71. Rabheru K. ter Uma Abordagem S-M-A-R-T: Curso imprevisível dos síntomas de Demência PODE Ser gerenciado. Médico PODE Fam. 2003; 49: 389.

73. Campbell SS, Kripke DF, Gillin JC, Hrubovcak JC. A Exposição à luz em individuos Idosos Saudáveis ​​e patients de Alzheimer. Physiol Behav. 1988; 42: 141-144. [PubMed]

74. McGonigal-Kenney ML, Schutte D. Gestão Não-farmacológico da agitados Comportamentos em PESSOAS COM Doença de Alzheimer e Outras Doenças crônicas Doenças demenciais. Iowa City, IA: University of Iowa Gerontological Nursing Interventions Research Center, Research Divulgação Core, National Guideline Clearinghouse; 2004. [PubMed]

75. Satlin A, Volicer L, Ross V, Herz L, Campell S. Tratamento com luz Brilhante de Distúrbios comportamentais e do Sono em patients com Doença de Alzheimer. Am J Psychiatry. 1992; 149: 1028-1032. [PubMed]

76. Mishima K, Okawa M, Hishikawa Y, Hozumi S, Hori H, terapia de luz Brilhante Takahashi K. Manhã parágrafo Distúrbios do Sono e de Comportamento em Doentes Idosos com Demência. Acta Psychiatr Scand. 1994; 89: 1-7. [PubMed]

77. van Someren EJ, Hagebeuk EE, Lijzenga C, Scheltens P, de Rooij SE, Jonker C, et ai. Distúrbios do Ritmo circadiano Repouso-Atividade na Doença de Alzheimer. Biol Psychiatry. 1996; 40: 259-270. [PubMed]

78. Murphy PJ, Campbell SS. Desempenho aprimorado em individuos Idosos Apos o Tratamento Luz Brilhante da insônia de Manutenção do Sono. J sono Res. 1996; 5: 165-172. [PubMed]

80. Forbes D, Morgan DG, Bangma J, Peacock S, Pelletier N, terapia Adamson J. Luz para alteração do sono, Comportamento e Distúrbios do humor na Demência. The Cochrane Library, 2005. Edição 2. Oxford Atualização de Software. [Acessado em 5/12/05]. Disponível em: http://cochrane.bireme.br/cochrane/show.php.

81. Okawa M, Hishikawa Y, Hozumi S, Hori H. Distúrbio do Sono-vigilia e fototerapia em patients Idosos com Demência. Biol Psychiatry. 1994; 1: 837-840.

82. Lovell BB, Ancoli-Israel S, Gevirtz R. Efeito do Tratamento com luz Brilhante sem Comportamento agitado em Idosos institucionalizados. Psychiatry Res. 1995; 57: 7-12. [PubMed]

83. Uchida K, Okamoto N, Ohara K, ritmo Moita Y. Diário de melatonina no soro em patients com Demência de tipo degenerativo. Brain Res. 1996; 717: 154-159. [PubMed]

84. Dori D, Casale G, Solerte SB, Fioravanti M, Migliorati G, Cuzzoni G, et al. Aspectos Chrono-neuroendocrinológica de Envelhecimento fisiológico e Demência senil. Chronobiologia. 1994; 21: 121-126. [PubMed]

85. Mishima K, Tozawa T, Satoh K, Matsumoto Y, Hishikawa Y, Distúrbios do Ritmo de secreção Okawa M. melatonina em patients com Demência senil e perturbado vigilia-sono. Biol Psychiatry. 1999; 45: 417-421. [PubMed]

86. Balan S, Leibovitz A, Zila SO, Ruth M, Chana W, Yassica B, et al. A Relação Entre OS subtipos Clínicos de delírio e o Nível urinário de 6-SMT. J Clin Neuropsiquiatria Neurosci. 2003; 15: 363-366. [PubMed]

87. Shigeta H, Yasui A, Nimura Y, Machida N, Kageyama H, Miura, M. et ai. níveis de delírio e de melatonina no pós-operatório em Pacientes Idosos. Am J Surg. 2001; 182: 449-454. [PubMed]

88. Ohashi Y, Okamoto N, Uchida K, Iyo M, N Mori, ritmo Morita Y. diaria dos níveis de melatonina no soro e Efeito da Exposição à luz em patients com Demência do tipo Alzheimer. Biol Psychiatry. 1999; 45: 1,646-1,652. [PubMed]

89. Olde Rikkert MG, Rigaud AS. Melatonina em Pacientes Idosos com insônia. Uma Revisão Sistemática. Z Gerontol Geriatr. 2001; 34: 491-497. [PubMed]

90. Monti JM, Cardinali DP. Uma Avaliação Crítica do Efeito da melatonina Sobre o sono em Humanos. Biol Sinais Recept. 2000; 9: 328-339. [PubMed]

91. Asayama K, Yamadera H, Ito T, Suzuki H, Kudo Y, Endo S. Estudo duplo-cego dos Efeitos da melatonina Sobre o ritmo de sono-vigilia, funcoes cognitivas e Não-cognitivas NA Demência de tipo Alzheimer. J Med Nihon Sch. 2003; 70: 334-341. [PubMed]

92. Rao ML, Mller-Oerlinghausen B, Mackert A, Stieglitz RD, Strebel B, Volz HP. A Influência da fototerapia Sobre a serotonina e melatonina na Depressão NÃO sazonal. Pharmacopsychiatry. 1990; 23: 155-158. [PubMed]

94. Ross JS, Shua-Haim JR. pesadelos induzida POR Aricept na Doença de Alzheimer: 2 Case reports. J Am Geriatr Soe. 1998; 46: 119-120. [PubMed]

95. Rogers SL, Doody RS, Mohs RC, Friedhoff LT. Donepezil melhora a cognição e Função mundial na Doença de Alzheimer: a 15 Semanas, duplo-cego, Controlado POR placebo. donepezil Grupo de Estudo. Arch Intern Med. 1998; 158: 1021-1031. [PubMed]

97. McKeith I, Del Ser T, Spano P, M Anónimo, Wesnes K, Anand R, et al. A eficacia da Rivastigmina na Demência com Corpos de Lewy: uma, Estudo internacional Controlado POR placebo, duplo-cego randomizado. Lanceta. 2000; 356: 2031-2036. [PubMed]

99. Mizuno S, Kameda A, Inagaki T, Horiguchi J. Efeitos do donepezil Sobre a Doença de Alzheimer: a Relação Entre a Função cognitiva e o sono REM. Psychiatry Clin Neurosci. 2004; 58: 660-665. [PubMed]

100. Skjerve A, Nygaard HA. Melhoria na sundowning na Demência com Corpos de Lewy Apos o Tratamento com donepezil. Int J Geriatr Psychiatry. 2000; 15: 1147-1151. [PubMed]

101. Simard M, van Reekum R. Os Inibidores da acetilcolinesterase Para o Tratamento dos síntomas cognitivos e comportamentais na Demência com Corpos de Lewy. J Clin Neuropsiquiatria Neurosci. 2004; 16: 409-425. [PubMed]

102. MacLean LE, Collins CC, Byrne EJ. A Demência COM Corpos de Lewy Tratados com Rivastigmina: Efeitos Sobre a cognição, síntomas neuropsiquiátricos, e sono. Int Psychogeriatr. 2001; 13: 277-288. [PubMed]

103. Reading PJ, Luce AK, McKeith IG. Rivastigmina não Tratamento de psicose parkinsoniana e comprometimento cognitivo: Resultados preliminares de hum Estudo Aberto. Mov Disord. 2001; 16: 1171-1174. [PubMed]

104. Stahl SM, Markowitz JS, Papadopoulos G, Sadik K. Exame dos Problemas Relacionados Noturnos Ao sono Durante OS Ensaios duplo-CEGOS, controlados POR placebo de Galantamina em Doentes com Doença de Alzheimer. Curr Med Res Opin. 2004; 20: 517-524. [PubMed]

105. Herrmann N, Rabheru K, Wang J, o treatment Binder C. Galantamina de Comportamento problemático na Doença de Alzheimer: Análise post-hoc dos Dados obtidos a Partir de Três Grandes Estudos. Am J Psychiatry Geriatr. 2005; 13: 527-534. [PubMed]

107. Cummings JL, Koumaras B, Chen M, Mirski D. Rivastigmina Nursing Home Study Team. Efeitos do Tratamento com Rivastigmina Sobre os Distúrbios neuro-psiquiátricos e comportamentais dos Residentes do lar de Idosos com Moderada uma grave Doença de Alzheimer provável: Uma de 26 Semanas, Multicêntrico, aberto Estudo. Am J Geriatr Pharmacother. 2005; 3: 137-148. [PubMed]

109. Cummings JL, McRae T, Zhang R. Donepezil-sertralina Study Group. Efeitos do donepezilo síntomas Sobre os neuropsiquiátricos em PACIENTES COM demencia e Distúrbios comportamentais sepulturas. Am J Psychiatry Geriatr. 2006; 14: 605-612. [PubMed]

110. Barak Y, Bonder E, Zemishlani H, Mirecki I, Aizenberg D. donepezil Para o Tratamento de Distúrbios comportamentais na Doença de Alzheimer: um Ensaio Aberto de 6 meses. Arch Gerontol Geriatr. 2001; 33: 237-241. [PubMed]

111. Paleacu D, D Mazeh, Mirecki I, MESMO H, Barak, Y. donepezila Para o Tratamento de síntomas comportamentais nsa patients com Doença de Alzheimer. Clin Neuropharmacol. 2002; 25: 313-317. [PubMed]

114. Stoppe G, Sandholzer H, J Staedt, Inverno S, Kiefer J, Distúrbios rther E. sono Nos Idosos com Demência: Tratamento sem atendimento ambulatorial. Dormir. 1995; 18: 844-848. [PubMed]

115. Tariot PN. Tratamento farmacológico de sepultura Demência. In: Iqbal K, Winblad B, Editores. Doenças e Desordens Relacionadas Pesquisa de Alzheimer. Bucareste, Roménia: Ana Asian Int Acad Envelhecimento; 2003. pp. 653-661.

116. Ruths S, Straand J, Nygaard HA, Bjorvatn B, Pallesen S. Efeito da Retirada antipsicótico Sobre o Comportamento e sono / vigilia Atividade sem lar Residentes com Demência: um Estudo duplo-cego randomizado Controlado com placebo. A Enfermagem Bergen Distrito Estudo Home. J Am Geriatr Soe. 2004; 52: 1737-1743. [PubMed]

117. Meguro K, Meguro M, Tanaka Y, Akanuma K, Yamaguchi K, Itoh M. Risperidona e Eficaz parágrafo vaguear e perturbado Padrões de sono / vigilia na Doença de Alzheimer. J Geriatr Psychiatry Neurol. 2004; 17: 61-67. [PubMed]

118. Falsetti AE. Risperidona PARA O Controle da Agitação em patients com Demência. Am J Saúde Syst Pharm. 2000; 57: 862-870. [PubMed]

119. Suh GH, Filho HG, Ju YS, Jcho KH, Yeon BK, Shin YM, et al. A, duplo-cego, uma Comparação randomizado cruzado da risperidona e haloperidol em patients com Demência coreanas com Distúrbios comportamentais. Am J Psychiatry Geriatr. 2004; 12: 509-516. [PubMed]

121. Rua JS, Clark WS, Gannon KS, Cummings JL, Bymaster FP, Tamura RN, et al. o Tratamento com olanzapina de síntomas psicóticos e comportamentais em patients com Doença de Alzheimer em instalações de Cuidados de enfermagem: um Estudo duplo-cego, randomizado, Controlado POR plaacebo. O Grupo de Estudo HGEU. Arch Gen Psychiatry. 2000; 57: 968-976. [PubMed]

123. Katz IR, Jeste DV, Mintzer JE, Clyde C, Napolitano J, Brecher M. Comparação da risperidona e placebo parágrafo Distúrbios psicose e comportamentais Associados à Demência: um Estudo duplo-cego randomizado. risperidona Grupo de Estudo. J Clin Psychiatry. 1999; 60: 107-115. [PubMed]

124. Tariot PN, Schneider L, Katz I, J Mintzer, Rua J. quetiapina em Enfermagem casa Residentes com Demência de Alzheimer e psicose; Apresentado na Reunião anual 15º da Associação Americana de Psiquiatria Geriátrica; 24-27 fevereiro de 2002; Orlando, FL. 2002.

125. De Deyn P, Jeste DV, Auby P, Carson W, Marcus R, Kujawa M, et al. Aripiprazol na Demência do tipo de Alzheimer; Apresentado na 16a Reunião Anual da Associação Americana de Psiquiatria Geriátrica; Março 01-04, 2003; Honolulu, HI. 2003.

126. Maixner SM, Mellow AM, Tandon R. A eficacia, Segurança e tolerabilidade de antipsicóticos em Idosos. J Clin Psychiatry. 1999; 60 (suppl 8): 29-41. [PubMed]

128. Standridge JB. Farmacológicas Abordagens Para o Tratamento da Doença de Alzheimer. Clin Ther. 2004; 26: 615-630. [PubMed]

129. opções Parnetti L. Terapêutica em Demência. J. Neurol. 2000; 247: 163-168. [PubMed]

132. Schneider LS, Dagerman KS, Insel P. Risco de morte com o Tratamento antipsicótico atípico parágrafo a Demência: meta-Análise de Ensaios controlados POR placebo. JAMA. 2005; 294: 1934-1943. [PubMed]

136. Vink AC, Briks JS, Bruinsma MS, Scholten RJ. A terapia Música para de como PESSOAS COM Demência. Dados Cochrane Syst Rev. 2004: CD003477. [PubMed]

141. Schulz R, Belle SH, Czaja SJ, Gitlin LN, Wisniewski SR, Ory MG, et al. Introdução à Seção especial Sobre Recursos Para Melhorar a Saúde cuidador de Alzheimer (REACH) Psychol Envelhecimento. 2003; 18: 357-360. [PubMed]

Artigos de Psiquiatria Investigação São fornecidas here cortesia de Associação Coreana Neuropsychiatric

mensagens Relacionados

  • O Que É síndrome Reiter s, Doença Pilotos.

    O Que É Síndrome de Reiter? Por Collette A. Osuna Qual E a causa da síndrome de Reiter? A causa exacta da síndrome de Reiter E Desconhecido. Ela ocorre Mais comumente em Homens Antes da Idade de 40. …

  • Síndrome de presa medula – NORD …

    Sinónimos de medula presa Síndrome TCS tethered Específicos síndrome da medula espinhal Gerais Sinais Discussão Os síntomas ósmio síntomas, a Gravidade e Progressão da síndrome de medula presa variam de um …

  • O Khmer “Coração fraco” Síndrome de Down … o

    Resumo Palavras-chave: Refugiados Khmer, Ataques de Pânico, Ataques de Pânico, PTSD, trauma A Prevalência de Coração fraco Entre Khmer Refugiados Métodos Cem patients consecutivos Que Atende A Dois ambulatorial …

  • Síndrome do desfiladeiro torácico, dor nas Costas Tratamento torácica.

    síndrome do desfiladeiro torácico descreve um Condição de nervo OU compressão de Tecido vascular na parte das costas superiores e Região inferior do Pescoço. Embora NÃO Ligado a Uma causalidade espinal, Os síntomas da …

  • O Que É Churg-Strauss Síndrome de Down … o

    síndrome de Churg-Strauss E UMA Doença Extremamente rara that causa Inflamação dos vasos sanguíneos. This Condição PODE danificar OS vasos sanguíneos de Pequeno e Médio Porte. Os Médicos also Chamá-lo …

  • A Síndrome da Taquicardia Postural …

    Resumo Palavras-chave: Síndrome Postural Taquicardia, fisiopatologia, diagnóstico, Gestão Introdução Fisiologia fazer Ereta Postura Assunção da postura Ereta Exige pronta …